segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Session Report: 26/10/2008

Antes de iniciar o session report, quero deixar claro a indignação geral do público com mais uma furada do Warny. Alegando que haveria um rodízio de vegetais cozidos e com formatos fálicos em um restaurante novo que inaugurou cujo público-alvo prefiro não comentar. Isso fez com que a jogatina acabasse ficando com 3 jogadores mesmo: Eu, Bouzada e Wykthor. Depois de muito confabular entre Doom/Scepter of Zavandor/Wealth of Nations como jogo de abertura, acabamos optando pelo Wealth of Nations.


O Wealth of Nations é um jogo totalmente econômico que , segundo o Bouzada, é educativo e excelente para alunos de economia. Eu considero ele um Gamer's Game, com muitas decisões e muito controle de recursos, basicamente você pode não ter mais chances de ganhar, caso não consiga abastecer suas indústrias. Basicamente, você tem acesso à vários tipos de recurso: Comida, energia, capital, dinheiro, Minérios e força de trabalho. Todos eles ficam dispostos em mercados com valores flutuantes, no estilo do Power Grid, abaixo a foto do bgg com o setup pronto:


Nós construímos tiles de indústria que levam a produção desses bens. Como é bem difícil produzir todos os bens, o jogo meio que rola num esquema muito interessante de oferta e demanda. E do mesmo jeito que no power grid, os bens vão ficando mais caros ou mais baratos. Para agilizar o jogo, eles colocam o "preço sugerido" de negociação que seria uma média entre o preço de compra e o de venda. No "setup", para 3 jogadores, cada jogador começa com dois pacotes de indústria e dois de commodities. São três fases basicamente: Trade (compra/venda/negociação de commodities), Develop (construção de indústrias/expansão do seu território) e Produção. A produção é um fator complicado, inclusive levando à carência de recursos. Você tem que pagar um de comida para cada tile de indústria (não-alimentícia) e uma energia para cada tipo de indústria que você tem, caso contrário não rola produção e você toma uma prejuízo muito grande.

A partida foi muito boa. Basicamente rolou um monopólio meu da força de trabalho, o Bouzada era o latifundário, produzia comida à rodo e o Wykthor , jogando muito bem, conseguiu monopolizar o Ore e a Energia, inclusive negando o mesmo para mim e o Bouzada. Isso foi muito cruel, pois acabou que ele conseguiu fazer os bancos primeiro, garantindo 90 e posteriormente 180 de grana, direto. Com o monopólio de alguns recursos, eu optei pela variedade para fazer frente ao Wykthor. Fiz indústria de energia e de minérios, os dois monopólios que ele tinha. Como o Bouzada tava fazendo o Capital à preços camaradas, abastecendo o mercado, fiquei tranquilo. Mais para o final, eu ainda tinha 4 notas promissórias (algo como a carta de mendigo do Agricola, -3 pontos no final do jogo) e o Bouzada também. O Wykthor era o banqueiro, fazendo montanhas de grana toda rodada e sem promissórias. Vendo a lavada que ia ser, optei, para surpresa de ambos, pelo final do jogo, observando uma possível vantagem que eu tinha (cada tile de indústria dava 4 pontos, eu tinha dois commodities que estavam com o preço muito alto, energia e ore). O Bouzada tinha um pouco menos de tiles que eu e um pouco menos de recursos e o Wykthor, apesar de muito mais grana, fez uma indústria bem menor, com 6 tiles a menos. Resultado, depois da contagem, acabei vencendo, com uma pequena margem para o Wykthor. 85 a 77 e o Bouzada, logo atrás com 74 pontos.

*Wealth of Nations é um jogo demorado, FEIO de doer, com péssimos componentes mas a mecânica é maravilhosa. O Bouzada acredita que a rejogabilidade não é muito grande, mas não tenho certeza. Ele definitivamente funciona melhor para 3 ou 6 jogadores por que existem 6 packs de industry tiles no setup e cada um ficar com a mesma quantidade equilibra bastante a partida. Não é um jogo leve e é preciso atenção o tempo todo, principalmente para abastecer suas indústrias e manter sua produção. Nós jogamos com uma pequena variação nas notas promissórias que realmente enfraquece bastante o jogo na sua forma original. Se você gosta de jogos econômicos, não liga muito para os componentes e tem tempo sobrando, o jogo é uma ótima pedida. E como a Tablestar Games faliu, pode ter certeza que ele, muito em breve, vai virar um "Holy Grail", então, pegue-o o quanto antes!

Terminada a partida, optamos por algo mais light, mais precisamente, um medium-light, o Metropolys, patrocínio do Kildare que emprestou o jogo para eu aprender e ensiná-lo, posteriormente na Torre das Peças. O jogo é da Ystari games e do mesmo autor do Yspahan. Segundo ele, nos créditos, rolou uma inspiração no Goa mas o Bouzada, que tem o jogo, disse não ter muito a ver. A primeira coisa que nota-se, é a beleza dos componentes e principalmente do belíssimo tabuleiro:


De qualquer forma é basicamente um jogo de controle de área com leilão. Cada jogador possui 13 prédios, numerados de 1 a 13 e com valor triplo, servem como bid, para determinar maioridade nos distritos do jogo e critérios de desempate de acordo com a altura dos mesmos. Como tínhamos dois heavy gamers na mesa (Bouzada e Wykthor), decidimos jogar a versão expert. As regras são extremamente simples. Você coloca um prédio à sua escolha em qualquer lugar disponível no tabuleiro. O próximo jogador pode colocar um prédio de valor maior em um espaço adjacente e ortogonal ou passar. Caso ele opte pelo outbid, o próximo jogador usa as mesmas regras mas para o prédio que ele está superando, não pelo original! Isso acaba levando a várias jogadas muito interessantes que podem ser feitas e , logicamente, a antecipação dos movimentos do seu oponente. Existem alguns bônus mas com certeza o grande diferencial são as duas cartas de "objetivo" que você recebe no começo do jogo. São 5 tipos de vizinhança e 5 cartas representando as mesmas. Cada jogador começa com uma carta, recebida aleatoriamente no começo do jogo. Se você conseguir alocar seus prédios na vizinhança respectiva, você garante dois pontos extras no final do jogo. E a outra carta, de objetivo, te dá de 4 a 7 pontos (dependendo do nível de complexidade da execução) no final do jogo. O mesmo termina quando alguém alocar os 13 prédios.


O Wykthor começou rushando pelos vps, como de praxe nos jogos. Eu e Bouzada fomos mais comedidos, pensando naquela história de "ficar sem gás" ao longo do jogo. No entanto, o objetivo secreto do Wykthor era alocar prédios espalhados pelos diferentes distritos o que acabou garantindo 16 pontos a ele no final do jogo. Eu consegui construir em vários parques, garanti o controle de algumas regiões mas quando acionei o final do jogo, construindo meu último prédio, o fiz sacrificando 3 pontos, acreditando numa possível vantagem que eu tinha. Ledo engano, Wykthor tinha feito 35 e eu com 32 fiquei a ver navios. O Bouzada tinha pego uma carta de objetivo bem difícil e acabou ficando em último, com 22 pontos. Foi uma partida muito boa e eu fiquei refletindo bastante tempo, depois, em função do erro cometido no final do jogo.

* Regras extremamente simples (o manual tem 4 páginas), jogo de basicamente uma hora, belíssimos componentes, preço acessível, ótima compra do Kildare e que adicionei à minha Wishlist. A mecânica é uma só, colocar prédios e ainda tem uma versão "Family Game" ainda mais acessível para os não-gamers. Se você gosta de controle de área e jogos de leilão simples, é uma ótima pedida.

Para terminar a noite, todo mundo tinha que ganhar um jogo e eu e Wykthor concordamos, antes de começar o Nefertiti que deixaríamos o Bouzada vencer. Afinal, um pro gamer com 2 últimos lugares era algo muito incomum , ainda mais com um casual gamer como eu, sentado à mesa. Nefertiti , do mesmo jeito que o Metropolys, é um medium-light game com inovadoras mecânicas de leilão e set collection. Há um quê de "worker placement" também. Em linhas gerais, nós podemos contratar uns aliados com poderes especiais e depois alocar cubras em um dos mercados do jogo até que um mercado se feche. É nessa parte que entra o set collection. Aquele que deu o maior lance, pode comprar um ou dois presentes para Nefertiti e o dinheiro vai para o mercado. Os jogadores subsequentes tem opção de pegar metade do dinheiro disponível ou comprar um presente pelo valor total na reserva. Isso acontece até todos os cubras serem removidos. No final do jogo, conta-se pontos por "originalidade" dos presentes ou seja, quanto mais jogadores tiverem o presente, menor serão os pontos no final do jogo. E isso tornou o jogo muito interessante. Apesar de ser bem leve, com duração de pouco mais de uma hora, há uma quantidade bastante considerável de tomada de decisões e sujeito a um pouco de bouzagem também.

O Wykthor, como de praxe, fez uma jogada de + de 50 pontos no começo do jogo, o que acabou tirando um pouco o fôlego dele. Eu que (realmente) joguei mal, não soube dosar bem a boa vantagem de grana que obtive no começo do jogo e super valorizei os "contratáveis" em detrimentos dos presentes. Resultado, acabei bem atrás no placar enquanto Wykthor e Bouzada fizeram uma partida bem equilibrada. No final das contas, vitória do Bouzada, como combinado previamente: 115 a 108. Eu, lá atrás com 82 pontos.

*O Nefertiti é um lindo jogo, com o tabuleiro e os componentes muito bem produzidos. O dinheiro é limitado ao que os jogadores começam +4 moedas, então sempre haverá exatamente 33 moedas no jogo. Isso é um fator bem interessante em termos estratégicos. Saber a hora de pontuar, atacar os inimigos e posicionar os meeples são decisões bem difíceis e interessantes. Como o final do jogo é disparado quando um pequeno deck de presentes é esgotado, o jogo não tende a se alongar por muito mais de uma hora. É aquele esquema dos mid-light games, não demorar muito, ter várias decisões e ao mesmo tempo ser divertido. O Nefertiti cumpre todos esses quesitos e não me arrependo de ter "apostado" comprando ele.


Apesar da resistência à partidas com 3 jogadores, foi uma ótima tarde com 3 jogos muito bem jogados e muito bons. E eu, como de praxe, fiz a escadinha. 1º, 2º e 3º lugar respectivamente :).

Glossário:

Bouzagem: Analysis Paralysis. O Bouzada, cunhou o termo, depois de refletir 10/15 minutos antes de cada jogada sua, fazendo uma varredura de todas as suas opções nos próximos três turnos.

Cubra: Genérico para qualquer coisa com semelhança à um homem no tabuleiro. Pode ser tripulante do Galaxy Trucker, workers em geral, peão, família do Agricola, exército....

8 comentários:

Formiga disse...

Parabéns pela session report...
o Wealth of Nations é exatamente isso... joguei uma vez em 4 pessoas... foi demorado... talvez se não tivéssemos sido tão conservadores nas promissórias, não é por acaso que consta 20 empréstimos nelas, o jogo teria sido mais rápido. Só outra partida para conferir... o setup é lindo e o inicio do jogo é empolgante mas o momento de trocas se tornou cansativo... As fichas de polker no lugar do dinheiro de banco imobiliário podem ser bem práticas...
O Metropolys achei light para não falar fraquinho... leilão, disputa de áreas... objetivos...
ótima sessin report...
abraços...

Fel disse...

A média de empréstimos em um jogo nosso é 7/8. Nossa variante é que só pode pagar uma por turno.

A troca, pode ficar cansativa mas como tem uma nota no manual, troque pelo barter price. Se vc ficar querendo aumentar/reduzir em um toda hora, só vai atrasar demais o jogo. A menos que você queira "monopolizar" o recurso.

O Metropolys é aquele tipo de jogo que você tem que colocar na cabeça q foi feito com esse objetivo. Não dá pra esperar dele tomadas de decisões com a profundidade de um PR/Agricola. E tem várias nuances interessantes, especialmente sobre posicionar/ganhar tiles que te deixem pegar um grátis depois.

E obrigado pelos elogios, optei por algo mais informativo ao invés do tradicional cômico por serem jogos pouco conhecidos por aqui.

Victor disse...

Belo report, Fel. Parabéns :-D

Sobre o Wealth of Nations foi uma jogatina bem legal, mas da próxima vez tentarei não fazer bancos como de praxe e tentar me virar na produtividade. Eu concordo com o Formiga sobre a trading fase ser cansativa (pelo menos para mim foi, porque eu fazia poucas trocas). E o dinheiro do jogo é tão feio quanto o do Imperial.

Sobre o Metropolys, talvez porque não estava com grande expectativa pelo que tinha lido no BGG, foiuma surpresa agradável. Teve alguns pontos que contestei (a distribuição dos tokens no setup sugerido, por exemplo), mas no geral agradou, ainda que não seja um "jogão".

Já o Nefertiti pude entender melhor agora as regras apesar de me embananar algumas vezes no worker placement. Mas eu discordo sobre o que colocaste, Fel, sobre ser "um lindo jogo, com o tabuleiro e os componentes muito bem produzidos". Os componentes são razoáveis (gostei das moedas, mas aquele ankh de starting player achei ridículo), mas as cartas precisam de deck protector. Elas são muito finas (a la zavandor). O tabuleiro achei normal, nem feio nem esplendoroso, mas a ilustração da caixa achei tenebrosa :P

No geral, uma excelente jogatina. Perdeu quem não pode aparecer, né Warny ? :)

Cacá disse...

Fala Fel...

Muito bom o post, fiquei mais animado, pois tinha comprad o Metropolys lá da Ilha no escuro, agora me pareceu que o do tipo de jogo que eu gosto...

O Nefertiti é que enfim, tenho que jogar pra ver qualé, mas que ele não me chama atenção nenhuma, isso não chama...

E o Wealth eu tô a um tempão querendo jogar, mas nunca rola lá no Calabouço, temos que mudar isso...

Abraços

PS:pronto mala, comentei =)

Cadu disse...

Pena que não pude ir. São 3 jogos que ainda não conheço e espero ter a possibilidade de jogar com vocês já que ultimamente tem sido uma overdose de Agrícola.

Warny disse...

Só eu que não estou sentindo essa overdose de Agricola? hehe
Legal o report, Fel, e desculpem por não poder ter jogado, os vegetais estavam muito bons :-P
O Wealth of Nations eu achei muito repetitivo daquela vez q eu joguei, mas preciso jogar de novo pra desfazer essa impressão. Vcs se lembram quanto a gente fez em média naquele primeiro jogo? Não foi mais de 100?? Estranho ter reduzido a pontuação com 3 jogadores...
Abraços

Fel disse...

Wykthor,

Acho que a trading do WON acaba sendo mais cansativa justamente pq não pode haver erros. E se as negociações ficarem em impasses acaba arrastando mais ainda.

O Metropolys não foi feito pra ser "jogão" , com certeza. E o Setup, usaremos o randômico nos próximos jogos ;)

Eu achei a qualidade muito boa. A caixa é feinha mesmo. E o Ankh podia ser menor mesmo hehe.

Cacá, o Metropolys foi uma compra certeira. Tenho certeza absoluta que c vai gostar. Quanto ao Nefertiti, se tu gosta de jogo de leilão, é batata. E como é rapidinho, acho que tu vai se animar sim.

O Wealth é pesadão, não dá pra jogar no Calabouço de bobeira. E como eu disse, 3 ou 6 jogadores.

Cadu, overdose de Agricola vai passar , c vai ver hehe

E Warny, o jogo ficou muito truncado pq o Wykthor fez embargo de dois goods fundamentais, energia e ore. Fora que eu , ao contrário de vc, rushei o final do jogo. Mais uma rodada e a pontuação teria subido, facilmente, 10/20 pontos.

Incomparavelmente melhor com 3 do q com 4 jogadores.

Cadu disse...

Quero registrar que não estou reclamando da overdose de Agrícola. O jogo é muito bom mesmo e não me importo se a jogatina for só de Agrícola.