terça-feira, 14 de outubro de 2008

"A Joga dos Aprendizes" ou "A queda da Lenda" ou "A volta por cima de um segundo colocado"


por Warny Marçano
Prólogo
Resolvi dar um tempo no meu blog de Cinema para escrever um Session report da mais nova jogatina que está se organizando aqui no Rio de Janeiro. Estamos ainda desenvolvendo um nome condizente para o evento. Mas o que se pretende acima de tudo é a divulgação do nosso hobby, ao lado logicamente do Calabouço das Peças e do Castelo das Peças.
Ah e aproveito para informar ao tradicional escritor desse blog que atende pela alcunha de André "Mosca Morta Dissimulada" Felipe que se esse que vos fala "gosta de pegar na ferramenta de 4", ele adora uma comida na chamada Cabana do Amor. A vingança nunca tarda!!!

Sábado
13h17
Chego ao Bob's Off Shopping e encontro Japa e Estevão jogando Uno. É um ótimo jogo para passar o tempo e fica mais engraçado com as novas regras inventadas por eles, dando diferentes atribuições para algumas cartas. Testamos mais uma vez já com a Cecília integrada ao grupo.
13h54
Victor "Zavandor" chega (atrasado!) espumando de vontade de jogar Phoenicia (que dizem as más línguas ser filho bastardo de The Scepter of Zavandor). A presença de tão ilustre lenda dos Jogos foi enriquecedora no sentido de todos nós aprendermos novas estratégias. Afinal, Victor é Vossa Majestade do In The Year of the Dragon, Maratonista das Galáxias do Race For The Galaxy, Senhor Absoluto de The Scepter of Zavandor e a Lenda do Phenicia. Mas dessa vez aconteceu o inesperado. Uma data histórica em nosso evento. A queda da Lenda.
14h28
Com a chegada de novos participantes, já estava montada uma mesa de Phoenicia, outra de Stone Age e uma de Puerto Rico, essa última comigo jogando.
O Puerto Rico, na minha humilde opinião, não merece estar na segunda posição do BGG, perdendo para o famigerado Agrícola, no qual nem joguei ainda, mas que só jogo quando estiver em uma posição a sua altura! Ou seja, abaixo de Puerto Rico! Quanto à partida, jogamos em 3 (com Eduardo e Rodrigo na mesa). Consegui produzir bastante milho e tabaco cedo, o que me deu bastante VP no começo do jogo. Eduardo também fez a estratégia de exportação, e Rodrigo (que estava jogando pela primeira vez) não exportou muito, mas construiu bastante. Até a metade da partida, estava com boa vantagem, mas Eduardo e Rodrigo começaram a me marcar, que fiquei bloqueado tanto no navio (não tinha meu próprio navio) quanto na casa de venda (não tinha o office). Resultado: Eduardo (49), Rodrigo (46), Warny (44).
No Stone Age, André fazia jus ao título de Mosca Morta dissimulada, dizendo que não ia conseguir ganhar. Vinte minutos depois, venceu com sobras. Dessa vez, a Lenda do Stone Age continua imbatível.
No Phoenicia, a situação era diferente. Victor dizia ter testado novas estratégias que não deram certo e que ficaria no máximo em segundo. E foi o que aconteceu. Jogo vencido pelo Thiago, que já tinha feito jogo duro comigo no Caylus. Agora dizem que a Lenda tentará conseguir essa alcunha no Jogo da Pulga. Vamos ver se consegue tal feito.
16h19
Mais três mesas são formadas. André resolve jogar Notre Dame, eu abro uma partida de Stone Age e Victor vai para um Galaxy Trucker. E o slogan de nossa jogatina já vai se formando, para desespero de Marco Aurélio "Monster Game" Bouzada:
"Jogos meia-boca também são jogos bons".
Mas é lógico que tem outros mais polêmicos!
"RPG está fora de moda! A nova onda agora são os jogos de tabuleiro!"
E o já tradicional:
"Jogos bons são jogos rápidos!"
De repente o deputado Camilo Sujeira coloca um deles em seus famigerados discursos.
O Notre Dame terminou com vitória apertada do André (74) sobre o Rodrigo (72). Consegui ganhar o Stone Age, mais pela experiência de pegar algumas cartas e cabanas essenciais. Mas com o tempo, o pessoal pegou o espírito do jogo e passou a considerar as cartas fatores bastante importantes para o jogo. No Galaxy Trucker, Victor venceu lembrando sua fama de Maratonista das Galáxias. E a partida teve direito até a nave com apenas um tile! E que por pouco não desapareceu no espaço!
17h53
Alexandre, aprendiz do Cacá "Sapateiros de Catan", resolve mostrar suas versões caseiras de Condottiere e de Batle Line. Esse último fiquei com vontade de conhecer, tamanha a empolgação que o André ficou depois de ter jogado e vencido mais uma partida no dia.
Enquanto isso, Victor deixa sua posição de Professor dos Jogos para aprender o Keythedral com o Japa (o promoter do evento!). Provavelmente o Bouzada deve considerar o jogo nem meia boca, mas 1/8 de boca. Eu particularmente gosto bastante do jogo. Apesar de ter demonstrado que estava se divertindo na partida, Victor começou a desdenhar dizendo que o Keythedral é "apenas um jogo divertido". Mas que estava feliz pelo seu segundo lugar. Lendas sabem ser condescendentes.

18h47
Enquanto o "Twilight Keythedral" continuava rolando, abrimos uma mesa de Puerto Rico com André Felipe, Eduardo, Pedro e eu. Da mesma forma que na primeira partida, jogamos sem expansão. André e eu compramos a Factory e conseguimos ganhar dinheiro para construções. Eduardo ficou no meio termo enquanto Pedro investiu no café e fez uma boa pontuação de construções. Da metade para o final, o jogo ficou entre eu e André, mas pela falta de quarry, André não fez uma boa pontuação de construções, enquanto eu fiz 2 construções tipo 4. Resultado: Warny (50), André Felipe (41), Pedro (32), Eduardo (28).
21h04
O pessoal já estava indo embora, de modo que ficaram apenas 4 pessoas. Resolvemos então jogar um Glory To Rome, que cada vez mais eu gosto. Apesar do designer um tanto duvidoso, o jogo tem uma boa mecânica de role selection e uma curva de aprendizado muito boa. A desvantagem são algumas cartas que contrariam a condição normal de vitória e de término do jogo, como o Fórum. Mas nada impede de se jogar sem elas. Eduardo estava jogando pela primeira vez e só se encontrou no jogo lá pela metade. Eu tentava construir, mas não conseguia os recursos para terminar as construções. Victor acabou ganhando o jogo, depois de André esbravejar que não conseguia pegar carta azul de forma nenhuma. E depois sou eu que fico reclamando!
22h19
Nessa hora rolou uma certa polêmica. Victor e André queriam jogar Agrícola. Para isso, até estavam dispostos a pegar o jogo no esconderijo terrorista do Cacá. Mas logicamente o único número 1 que existe, Puerto Rico, reinou novamente e acabamos por jogar uma terceira partida, dessa vez com expansão. Victor ficou em último, dizendo que havia entendido errado um prédio tipo 4. Eduardo se encheu de victory points no começo do jogo, mas ficou sem dinheiro para comprar um prédio grande. Com black market, church, library e wharf, consegui vencer mais uma. André pegando Settler 3 vezes, tendo Construction Hut, ficou apenas na segunda posição, ainda esbravejando que não consegue jogar Puerto Rico direito ainda. E depois sou eu que fico reclamando (2)! Resultado: Warny (51), André Felipe (44), Eduardo (39), Victor (34).
Epílogo
Era quase meia-noite e ainda tive que aguentar as gracinhas do Victor dizendo que eu levei o Hacienda à toa! A partir de agora vou fazer propaganda para o Hacienda ser o númeo 1 do BGG!
Mas...quando será a próxima partida de Agrícola???
Ficha Técnica:
Número de Participantes: 15
Duração do evento: 11 horas
Jogos: Puerto Rico (3), Stone Age (2), Uno (2), Notre Dame (1), Phoenicia (1), Batle Line (1), Condottiere (1), Keythedral (1), Galaxy Trucker (1), Glory To Rome (1)
Jogos que poderiam ter rolado, mas que por algum motivo não viram mesa: Agrícola, Hacienda, Guillotine, Mykerinos, Galactic Emperor.

6 comentários:

Victor disse...

Muito legal ambos reports, André Felipe e Warny. Só alguns comentários:

1) O evento foi pequeno, mas muito divertido. Valeu a pena as 10 horas de jogatina que participei.

2) Eu devo ser muito chato para receber tanta menção. Pior do que eu só o Whiny Warny e o André Mosca Morta Dissimulada Felipe

3) O Keythedral para mim é um jogo medium light divertido, nota 7. Não é a oitava maravilha do mundo, mas também nao é um jogo mega palha.

4)O fato de ter perdido o Phoenicia
não foi nada demais. Vocês que começaram com essa estória de lenda/divindade/maratonista. Imperdoável foi a mancada que dei ao ler errado um dos prédios de PR.

5) Finalmente, vejam as pérolas do Warny:

"Victor e André queriam jogar Agrícola. Para isso, até estavam dispostos a pegar o jogo no esconderijo terrorista do Cacá. Mas logicamente o único número 1 que existe, Puerto Rico, reinou novamente"

" Mas...quando será a próxima partida de Agrícola???"

"Jogos que poderiam ter rolado, mas que por algum motivo não viram mesa: Agrícola"

Vejam só, o Warny:

- Nunca conheceu o Agricola
- Institui que o PR é melhor e ponto (se por acaso ele já tivesse jogado e mantivesse sua preferência, perfeito, o PR também é um jogaço)
- Boicota a partida de Agricola mesmo depois de eu ter oferecido em ir lá na casa do Cacá.
- Finalmente tem a pachorra te colocar candidamente que o Agricola não rolou e pergunta quando ocorrerá.

Esquece, Warny, o embargo de Agricola foi instituído contra ti. Só conhecerá o jogo em 2009 :-D

Cacá disse...

Para colaborar com o embargo ao invés de levar o Agricola na quinta, vou levar meu "euro-resta 1" com seleção de papeis... um clássico...

Vou ver se na próxima a preguiça me larga e eu apareço na Torre tb...

Abraços...

Victor disse...

Cacá, o Warny não irá. Pode trazer o Agricola =)

Guilherme Rodrigues disse...

"Ah e aproveito para informar ao tradicional escritor desse blog que atende pela alcunha de André "Mosca Morta Dissimulada" Felipe que se esse que vos fala "gosta de pegar na ferramenta de 4", ele adora uma comida na chamada Cabana do Amor."

Sabia que tinha algo rolando entre vocês dois!

opiumseed disse...

Olá! Quando será o próximo Torre das Peças?

Cadu disse...

Legal o seu report Warny. Faça outros.

Sobre o Keythedral eu considero um bom jogo. Ele é melhor apreciado depois de mais algumas partidas.