sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Calabouço Surreal: Shamou Filosofando enquanto a minhoca come solta...

Mais um Calabouço das Peças no RJ. Esta é a turma de apreciadores de jogos de tabuleiro que não entendem porque ir a praia no domingo de manhã pode ser mais importante do que ler a biografia do Martin Wallace.

Para aquecer as turbinas a galera aceita a sugestão do Cacá (quem é louco de não aceitar?) e monta a primeira mesa da noite: Pickomino (Hummm???)

O Cacá começa a explicação:

- Nós somos galinhas e queremos minhoca!!!

Como esta explicação não pega bem para um cidadão latino-palestino o Cacá tratou de refazer sua explicação do jogo:

- Bem, quero dizer... Nós somos galos-bomba e estamos interessados nos anelídeos.

Para que os leitores não pensem que bebemos a cachaça do Shamou, informamos que no Pickomino os jogadores precisam, através do resultado da rolagem de 8 dados, resgatar os dominós-minhocas do tabuleiro ou roubar as minhocas dos outros jogadores (Quê, quê é isso Manooo!!!) . No final quem tem mais minhocas vence o jogo.

Com essa história de roubar minhoca foi um tal de “vou pegar a minhoca de fulano”, “deixa que essa minhoca é minha” e outras frases de efeito com a minhoca embutida. Já estava ficando esquisito. O único que se preparou para esta maluquice foi o Merino, que já conhecia as malícias da minhocagem e compareceu na jogatina com um cinto de castidade devidamente instalado. A vitória suada foi do André Boné que assumiu ser expert em minhoca alheia numa entrevista exclusiva após a sacanagem... quero dizer... após o jogo.

Esse Pickomino é muito doido, mas também é engraçado e rende algumas risadas. Vale como distração antes dos jogos mais sérios.

Deixamos a galinhagem de lado e partimos para o Citadels. Ou melhor, Cidadelas, já que está em estudo uma medida provisória que proíbe a utilização de termos em inglês em qualquer partida de jogo de tabuleiro em território nacional.

Começa a partida com os seguintes jogadores: Major Bouzada, Zé Colméia, Cacá, Fel Sugestivo, Merino Pancador, Amiúne (estranho não?) e Cadu. Para começar o Cacá é o assassino (isso a gente já esperava) e ele resolve matar o Mercador que era o Cadu (por essa o Cadu não esperava)... Diz a lenda das jogadas obrigatórias que no Citadels é o Mercador o cubra safado marcado para morrer no primeiro turno. Cadu não sabia desta “regra” pois em sua infância, na hora de dormir, a mamãe só lia o manual do banco imobiliário... vida ruim...

Na segunda rodada Cadu ficou bem longe do Mercador e se transformou no assassino. Se ele soubesse que o Cacá era o ladrão não o teria assassinado. Afinal fazer este tipo de coisa com palestino é pior que mastigar chumbinho. Amiúne (exótico não acham?) só queria saber de pegar o Rei e toda hora estava sendo roubado, assassinado, enfeitiçado etc.
Para se proteger da Guerra Santa prometida pelo Cacá, a turma tava construindo prédio que não podia ser destruído e usando o bispo a rodo. Merino, tentando dissimular, disse que tinha muito texto na carta dele (mágico) e que estava difícil saber que jonça o Mister M fazia. Bouzada não sabia se marcava o Zé Colméia ou o Cadu. Enquanto isso o Shamou, pensando nos suculentos sabores da caninha da roça, solta a seguinte pérola:

- Este jogo ainda está no fim?

Muitos jogadores experientes que estavam no local tentaram entender qual seria o significado desta pergunta. Depois de muito confabular e queimar neurônios chegou-se a conclusão que se o jogo ainda está no fim pode ser que já esteja no começo o que não leva a lugar nenhum...

Desistimos de entender a filosofia Shamouniana e partimos para a fazenda Agrícola com o objetivo de espairecer um pouco. Mais uma vez plantamos, colhemos, desenvolvemos, e perdemos para o Fel Sugestivo Palhacento Dissimulado Mosca Falecida (tá cada vez maior o nome desse menino...). A partida foi bastante disputada com o Franklin ficando apenas dois pontos atrás do Fel e ao final com todos ainda achando o jogo muito bom.

Entre uma partida e outra surgiu no Calabouço o gato Quântico do Antônio Marcelo. O bichano se mostrou treinado nas forças-especiais e entrou pela janela. Duvido o Shamou fazer isso!

Em outras mesas tínhamos Tikal, In the Year of the Dragon e Carcassone. Ainda rolou uma partida de Kingsburg, vencida pelo Zé Colméia, onde os Orcs fizeram um estrago danado detonando as construções do Cacá, do Fel e do Cadu. Vida muito ruim...

Ingressos já esgotados para o Arkham Horror do Calabouço da próxima semana. Agora só com os cambistas. Até lá a gente vai colocando lajotas, alocando trabalhadores, jogando lixos-americanos e rasgando os dicionários de inglês... Viva Zapata!!! Viva la Revolución!!!

[]s,

Cadu.

3 comentários:

Zé "colmeia" Luiz disse...

Fala Catatau!!! 0 Comentários é muito brabo então tou deixando aqui um recadinho só pra vc não ficar triste.... hehehe pude presenciar a mosca-morta fazendo muito bem seu papel no agricola... cara esse é o trunfo dele... geral marcando o camilo e o franklin e aí o FEL (nome muito sugestivo, não acham???) ganha pra amargar o jogo dos outros. hehehe. pra falar a verdade não gostei muito desse agrícola... se tivessem umas miniaturas de plástico mais detalhadas seria bem melhor!!!
jundas!!!
Zé "colmeia" Luiz

Fel disse...

Boa Cadu!

O Pikomino é bem divertido mesmo.

Kingsburg saturou, Agricola também estou meio de saco cheio :p

Joguei +2 partidas no final de semana :/

O Citadels tá brabo pra mim, quero jogar uma partida direito pra ver como é.

Abrax,

Fel

Cadu disse...

Valeu Zé Colméia / Fel

De saco cheio do Agrícola?! Deve ser por que você ganha toda hora. Acho que você só fica ameçado quanto o Bouzada tá jogando porque aí sai faísca.

[]s,

Cadu.