sexta-feira, 5 de setembro de 2008

Zépelin viajando no tempo com Vikings pescadores.

Nota do Autor:

Ficou acordado que o session reporter desse Calabouço seria o Cadu. No entanto, por sugestão do nosso blogger terrorista Cacá dono do blog:

eaitemjogo.blogspot.com

Decidimos fazer uma visão tripartida do Calabouço. Em breve, o report muito melhor e mais divertido do Cadu será postado aqui. Enquanto isso, meu parecer sobre o Calabouço (até por ter sido um pouco mais longo do que o dos outros dois).

Participantes: Wykthor Zavandor, Warny das Ferramentas, Bouzada Major Ronque Fuça, Cacá "Homem-Bomba" Grayrock, Cadu "pífio e miserável" (inserior sobrenome), André CRUZ, Carlos "Mito do Khronos" Carlão, Zé das Olimpíadas, Renato , o Gerente camarada, Arthur "The Chaos" Radyzyk, Nobre Rabugento, Rodrigo Ben Linnus e eu. (Acho que esqueci alguém mas beleza).

Furão-Mor: André Jiu-Jitsu. Duas semanas consecutivas sem aparecer. Dizem as más línguas que foi dragado para o mundo mágico do MMORPG

Furões: Guilherme (fazendo vestido de noiva no Dophus), Filipe Diniz que falhou em não levar o Agrícola a tempo.

Jogos da Noite (em ordem de complexidade DECRESCENTE na escala Merina, ou seja, do mais para o menos complexo ou impossível de se jogar): Escalation x 7, Amazing Flea Circus x 2, Cave Troll x2, Settlers of Catan x2, Kingsburg x 1, Stone Age x3, Rá x 1, Caylus Magna Carta x1, Notre Dame x1, Airships x1, Vikings x1, Galaxy Trucker x 1, In the Year of the Dragon x2, Khronos x1.

Props da Noite:
-O Warny admitindo que continua pegando e gostando da ferramenta.
-A presença do Cadu que garantiu vários pífios e miseráveis.
-A presença do Cacá depois de 20 ausências consecutivas em função da sua afiliação islâmico-terrorista.
-Carlos "Lenda do Kinsgburg" Carlão que não ganhou mas deu uma aula de como usar o En(Viado) no mesmo.
-A galera ter dado chance e jogado 4 "novidades": Cave Troll, Airships, Vikings e o Khronos.
-O Croissant de Chocolate que precisa de lobby para continuar saindo em larga escala.
-O histórico empate quádruplo na pulga, com 15 pontos para os 4 jogadores, promovido, obviamente pelo Arthur
-O Nobre que finalmente ganhou um jogo.

Slops da Noite:
-Terem rolado duas partidas de Race, 3 de Stone Age e 1 de Kingsburg e eu não estar em nenhuma dessas mesas
-O Renato ter ganho dois jogos do Arthur no tapetão (Kingsburg e Caylus Magna Carta)
-A quantidade de vices acachapante que eu tive, desfazendo o INJUSTO título de mosca morta conferido à minha pessoa.
-Eu não ter prestado atenção na explicação do Khronos e demorar 20 minutos em uma única jogada, a exemplo do Bouzada.
-Vitor, o professor e lenda viva do Stone Age deixando seus oponentes ganharem ao invés de adotar a filosofia Camilo de "Quem refresca cu de pato é lagoa".



A noite começou bem. Devido a recentes fenômenos de inexplicável origem Merina, a galera tem chegado pontualmente às 19h lá. (vício é foda). Foram armadas duas mesas, logo de cara:

Airships com eu, Cacá, Bouzada e André Amiúne, digo Cruz e a outra com Wykthor Zavandor, Warny e Arthur de In the Year of the Dragon.

O Airships é um jogo "de promessa". Não só pelo autor mas pelos diversos caminhos e nuances que pode tomar. É bem propenso ao "que que isso" do Bouzada já que tem muita rolagem de dados mas são bem contornáveis com cartas de modificadores e afins. A arte é bem bonita, como se espera de um jogo da Queen Games e o mais importante, não demora. Apesar das várias "Cacá's Editions" (esse que precisa ter aulas de como explicar um jogo com Wykthor Zavandor, o mais minucioso dos explicadores de jogos, reza a lenda que ele leva, no mínimo, 120 minutos para explicar BANG! para alguém) o jogo fluiu bem. Eu que estava jogando muito mal, sem planejamento algum, no final do jogo me vi em uma situação chata. Minha melhor jogada acabaria com o jogo e garantiria a vitória do Bouzada. As outras manobras possíveis eram bem idiotas e inúteis. Em nome de um vice sem glória, apesar de temer represálias em forma de guerra santa do Cacá, decidi fechar a conta e manchar meu currículo com um belo Kingmaking!

Enquanto rolou o Airships, o Wykthor deu uma aula de In the Year e ganhou do Warny e do Arthur em um jogo bem disputado. Só não foi mais disputado , pois com o Wykthor a gente não disputa, assiste e aprende. E lá no final, Cadu se degladiava com os Trolls insanos no Cave Troll na companhia do Renato, Arthur e Carlão.

Depois do Airships, muita insistência do Bouzada para jogar algo "light" tipo Die Macher ou um TI3 para 8 jogadores. Adotando a linha dos "novos jogos", da minha insistência e das ameaças profanas do Cacá, Bouzada acabou concordando em jogar Khronos. O mais notável do jogo, sem dúvida é tentar precisar a quantidade de entorpecentes e alucinógenos é necessária para criar um jogo desse tipo. As regras são cheias de minúcias e o jogo não é muito intuitivo. E , por incrível que pareça, o Bouzada comprou o jogo por causa do tema. A primeira coisa que você nota é que tudo é muito bonito. O tile, os tabuleiros, os marcadores, tudo com a assinatura de qualidade da Rio Grande. A explicação demorou um pouco e depois de ser alertado sobre uma possível semelhança com T&E, Cacá ficou um pouco assustado mas decidiu dar uma chance. Como no post do Cacá, sem dúvida a grande sacada do jogo é que um prédio construído na parte da era I do tabuleiro é replicada na era II e aparece em ruínas na era III. Isso dá margem para muita cubriagem, controle de área e outras coisas divertidas. Apesar de ser um jogo longe de ser light, as cartas que você compra influenciam fortemente o resultado das suas jogadas. Argumenta-se que é possível trocar sua mão, uma vez, para reduzir a sorte, mas isso custa 2 de grana. Como eu ganhei por um de grana, muito suado por sinal e o Cacá ficou imediatamente atrás, esses dois fazem uma diferença absurda e devem ser sabiamente usados. É um jogo muito bonito, não é daqueles que se jogaria toda semana mas com certeza é um belíssimo passatempo e acima de tudo, em tempos de cópias, um jogo super original em vários aspectos é sempre muito bem-vindo. A minha última jogada foi atípica. André Cruz e Bouzada disseram que havia duas formas de eu ganhar. Como eu estava distraído com a partida de Stone Age do meu lado esqueci de uma regra fundamental: Quando você coloca um prédio ganha um de grana. E foi esse "um" que resolveu o mistério e desfez o que seria um empate sem graça. Vale ressaltar que a minha vitória é toda creditada ao Carlão que me deu uma dica fundamental para minha vitória. Ele, sendo autoridade no jogo e que, na 1a vez que jogou, acabou sendo injustiçado com um empate com o Bouzada, teve sua vingança garantia com minha vitória que é mais dele do que minha. E que o jogo é espetacular, uma agradável surpresa.


Enquanto isso, no Stone Age que rolou com o casal Rodrigo e Nobre, o Warny ganhou pegando as ferramentas de tudo que foi jeito enquanto o Wykthor só assistia seus pupilos para analisar suas jogadas. O Warny, satisfeito com sua performance homossexual, decidiu partir. O Cadu ganhou o Cave Troll na learning session que fez e foi conhecer o Stone Age.

Na 3a mesa, com a chegada do Zé, uma partida super equilibrada de Kingsburg com direito à ida do Renato ao Rei na 2a estação do primeiro ano. Destaque para o Carlão que ensinou como tratar um en(viado) com carinho e funcionalmente. O jogo, antes do último inverno, estava virtualmente empatado. Arthur e Renato empataram ao término e depois da discussão de autoridades em regras e checagem do manual, Renato ganhou no tapetão por ter mais goods.

Com a partida do Carlão, rolou um Caylus Magna Carta e , de novo, Renato usou sua influência na caixa econômica para arrancar a vitória do Arthur aos 45 do segundo tempo. Uma atitude bem anti-lúdica no cenário do Calabouço.


O Khronos deu lugar ao Vikings, outro jogo novo do Cacá que ele queria estrear depois de ter lido as regras. Se você quer saber mais sobre a mecânica, dá uma olhada no blog. Tem uma roda bem legal que , como frisou o Wykthor "é igual Jogo da Vida". Eu fiquei impressionado com a ótima relação custo-benefício do jogo. Apesar de ter uma boa dose de sorte com o sorteio dos meeples, é possível planejar maior ilha, fechar ilhas e tudo mais. Eu, como tenho feito muita starvation no Stone Age, troquei as bolas, deixei meus cubras morrrerem de fome e perdi por 3 pontos para o Bouzada que se sagrou pescador Viking e vencedor do jogo.

O André Cruz foi embora depois do Vikings e , meio a contragosto, fui jogar o In the Year of the Dragon. Acho o jogo uma obra-prima de design, muito bem amarrado, com excelente rejogabilidade, no entanto, ele é muito tenso o tempo todo e a gente sempre joga (e perde) com o Wykthor. Aceitei jogar , pois seria um pouco menos injusto jogar sem ele, em tese ficaria mais equilibrado, apesar do Bouzada ser conhecido e temido no Mabiweb jogando 3 partidas ao mesmo tempo. O Cacá , acostumado à doutrina do auto-sacríficio, auto-flagelo e explodir tudo em nome de Alá, acabou deixando sua galera passar fome durante a seca. O Bouzada quis arrojar, com uma Cortesã no primeiro turno, alguns privilégios pequenos e vários palácios. Como ele ficou para trás no people track, foi cortado no arroz e sua população sofreu muito com a seca. E isso nem no Mabiweb eles ensinam. E para sair de uma situação dessa, só Wykthor, criador do calendário do Dragão (que , diga-se de passagem jamais se encontraria em situação parecida). Eu fiz a estratégia do "tudo que seu mestre mandar". Primeiro lugar no people track, privilégio duplo na primeira rodada e um jogo mais conservador, sem a cortesã. Acabei ganhando os pontos do festival de fogos de artifício e uns pontinhos extras com o scholar que me asseguraram a vitória. Mas como eu havia dito, acho que o jogo com 3 jogadores perde bastante, pois com 3 pilhas de ações, fica muito mais sujeito à sorte e a disposição randômica dos tiles.

Para surpresa geral, Cadu pancou no Stone Age e acabou agradecendo ao Wykthor por ter feito um jogo menos agressivo para favorecer os adversários. Ainda rolou uma partida de Galaxy Trucker em que o Wykthor, a lenda quando se trata de jogos em sci-fi , venceu, apertado o Cadu.

Ainda rolou uma 2a partida de Cave Troll entre Arthur, Nobre e Rodrigo (Vitória inesperada do Nobre) enquanto eu, Wykthor, Bouzada, Cadu e Cacá jogamos Rá. Rá é outro jogo que eu tô meio saturado mas em nome do horário e da rapidez do jogo, acabamos jogando e foi até bem divertido. É legal torcer para que saiam tiles de Rá quando você não pode mais biddar. E o timing de entrar em um leilão também é ótimo. O Wykthor, no último ano, fez uma jogada conservadora e que lhe valeu o jogo, só tinha mais um tile de Rá para sair e temendo que fosse acontecer logo, pegou um bom pacote de 4 pontos, justamente a vantagem sobre mim e o Cacá. Não deu outra, imediatamente depois, ao som do "Que que isso", saiu o tile, Wykthor ganhou e eu e o Cacá
empatamos em 2º lugar.

A maior parte da galera foi embora, sobrevivemos eu, Rodrigo, Nobre e Arthur e rolaram, nessa ordem: Settlers of Catan, Escalation, Escalation, Notre Dame, Pulga, Pulga, Catan.

-O 1º Catan , seguindo os ensinamentos de Cacá das Árabias e Camilo sujeira, consegui boas alocações e venci com Longest Road e Largest Army.

-Escalation 1 foi marcado pelas discussões sobre como adotar o "do grego strategia" em um party game idiota e randômico :). Acabei ganhando a primeira bateria, relembrando os tempos de Felphs do calabouço passado.

-Escalation 2 foi marcado pela total incompetência do Nobre de fazer o Arthur levar alguma coisa e o mesmo acabou ganhando a 2a bateria.

-Notre Dame teve um excelente uso da residência + parque pelo Rodrigo e a costumeira e implacável perseguição aos ratos pelo Arthur. Eu me atrapalhei todo, fiz um pouco de carruagem, perdi algumas idas à Notre Dame e nem todos os cubos do mundo me ajudaram. Highlight do jogo foi a benevolência do Nobre, que em um gesto muito nobre cedeu 18 pontos para o Arthur na última rodada. Ainda assim, uma pontuação bem alta e vitória do Rodrigo com 70+ pontos contra 68 do Arthur.

-Pulga 01 foi histórica com um empate quádruplo em 15 pontos para cada jogador. Pulga 02 o Nobre , cambista pegou todos os tickets e ganhou fácil.

-Para fechar, a 2a partida de Catan, com todo mundo lesado, eu mal posicionado no tabuleiro e Arthur e Rodrigo fazendo a festa. Eu, fiz a estratégia americana belicosa dos Knights mas não foi o bastante. Vitória do Rodrigo.

Semana que vem tem mais e aguardem o report do Cadu!

6 comentários:

Victor disse...

> A quantidade de vices acachapante que eu tive, desfazendo o INJUSTO título de mosca morta conferido à minha pessoa.

Tem razão, André Felipe. Muito injusto. Você é mosca morta E dissimulado ;D

gemining disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rodrigo Ben Linus disse...

E eu fiquei sem jogar o Amun-Re :/

Cacá disse...

Estou tentando preparar uma surpresa para os "gamers-game" na quinta... se não der tempo, levo algum jogo tipo Arkadia, Elasund ou El Grande...

Guilherme Rodrigues disse...

Cacá vai levar o Roads & Boats feito com garrafa pet 2l, anel de latinha de schin-cola e rolha de vinho dom bosco?

BTW: Vestido de noiva no doFus, só se compra no npc, não dá pra craftar :P

Cadu disse...

> "Apesar das várias "Cacá's Editions" (esse que precisa ter aulas de como explicar um jogo com Wykthor Zavandor, o mais minucioso dos explicadores de jogos, reza a lenda que ele leva, no mínimo, 120 minutos para explicar BANG! para alguém) o jogo fluiu bem."

huahuahuahuahuahua