sábado, 10 de abril de 2010

Há amigos mais chegados que um irmão

Todas as resenhas de jogos que escrevi até hoje no blog do Calabouço tem uma tendência para o humor. A vida é muito agitada e corrida, porque não rir um pouco pra descontrair? Eu levo os jogos de tabuleiro bem a sério e jogo sempre pra ganhar, mas quando falo deles procuro enfatizar mais as pessoas, o que elas tem a oferecer, o que elas são, como jogam, como se comportam. Sempre há coisas engraçadas para dizer. Muitos já devem estar cansados das piadas repetidas e personagens carimbados, tais como: Islâmico Cacá ou Cacássone, Deputado Camilo Sujeira, Fel Mosca Morta Dissimulada e Sugestiva, Major Bouzada Ronca e Fuça, Carlão “Vândalo do Portão”, Arthur e suas experiências culinárias, Victor Zavandor, Rodrigo “Desaparecido” Ramos, Rogério Edition, Shamou e suas peripécias a caminho do Calabouço, Antônio Marcelo e seus gatos amestrados, Mayapur e suas meditações religiosas durante as partidas, Leo “Floresta Encantada” Rossi e vários outros.

Mas o que dizer do lado humano das pessoas? Como agradecê-las pela amizade e carinho? Quem são os seus amigos?

O que aconteceu no Rio de Janeiro em abril de 2010 não foi nada engraçado. Não foi feliz para ninguém. Então por que motivo escrever uma resenha? Onde estão os jogos e as pessoas aqui?

Como a maioria já sabe a chuva destruiu a minha casa e os meus bens. Isso aconteceu com várias pessoas no Rio de Janeiro, sendo que muitas delas perderam também parentes, o que, agradeço a Deus, não ocorreu comigo.

No entanto, no meio da destruição e daquela sensação ruim de perder a sua casa, eis que ganho o maior de todos os presentes: os gestos de humanidade e amizade que me pareciam tão perdidos e esquecidos. Não esperava menos de nenhum dos amigos do Calabouço, Castelo e afins, mas confesso que fiquei sensibilizado. Então em lugar de escrever algo para rir porque não escrever algo para agradecer? Não vou mencionar o nome de cada um pois posso cair na cilada de esquecer alguém, o que seria injusto. Então AGRADEÇO DE CORAÇÃO aos amigos brasileiros, portugueses e dos demais países que ajudaram, contribuíram e deram muito de si mesmos. Esse é o maior bem, o gesto de amizade e carinho. Isso não tem preço, não há quem tire, não tem catástrofe natural que leve.

Falando sobre o ocorrido, durante a noite, fugindo da inundação, a sensação foi de terror. Ao amanhecer e ser resgatado por um barco de voluntários eu estava meio atordoado, sem saber exatamente o que fazer. Minha esposa é forte e não se abala fácil, com o Eric no colo e uma bolsa de roupas ela não demonstra fraqueza, algo admirável. Um rapaz chamado Wallace nos deu carona até o nosso destino, sem pedir nada e sem nos conhecer.

No dia seguinte voltei ao local e tirei grande parte das fotos que disponibilizei no link http://www.4shared.com/dir/36085801/1393f895/Enchente_Abril_2010.html.

Dos jogos destruídos conta-se: Descent, Agrícola, In the Year of the Dragon, Catan dentre outros. Mas o mais espantoso foi o caso do “Space Hulk”. Este jogo estava numa gaveta que foi coberta pela água. No dia seguinte a tampa e a caixa estavam encharcadas, mas o jogo encontrava-se intacto e com as peças completamente secas. A qualidade do material da “Games WorkShop” é tanta que o jogo sobreviveu a uma enchente. Por outro lado, o “Jogo dos Conquistadores” se desmanchou por completo. A “Estrela” deve estar orgulhosa da qualidade de seus jogos.

Lama por todos os cantos, destruição e uma certeza: a vida continua, não há porque lamentar. Tudo isso é uma oportunidade de aprender, de renovar esperança, de saber que Deus não tira nada de ninguém.

Uma vez ouvi um sermão que contava a história de um casal que teve sua casa incendiada. Nos escombros, desolados, removiam as cinzas. A esposa, num mixto de lágrimas e sorrisos, diz ao marido que encontrou um álbum de fotos que não havia sido destruído por completo. Eles se abraçam, estão felizes. Ali está a história de suas vidas, os amigos, os momentos...

Quando estava na sala, com água pela cintura, vi meu álbum de fotos e fui compelido a levá-lo. Não me arrependo agora. Ali estão alguns dos seres humanos mais extraordinários que conheço... os amigos.

Há amigos mais chegados que um irmão.

Abraços,

Cadu.

4 comentários:

Andre Lucato disse...

Ola Cadu,

Embora nao te conheca vejo que voce e sua familia estao sendo bem fortes e que dentro de relativo tempo a vida de voces voltara ao normal,totalmente recontruida e anda mais fortalecida desse fato lamentavel.
Fique certo que em meio esta loucura do mundo atual sempre haverao muitas pessoas (muitas,de verdade)sempre prontas a ajudar
Abracao

Carlos Eduardo disse...

André

Obrigado pela força. Tudo vai ficar bem, tenho certeza.

Grande abraço.

Cadu.

savio disse...

cara fiquei sabendo dessa historia e quando me contaram eu falei, " ta de sacanagem, neh?" , para mim era brincadeira devido a vc morar em sao gonçalo, nego tava de gastando, quando dei que era vdd, fiquei mt triste, e ontem quando os amigos me falaram da empraitaida para te ajudar fiquei super feliz.. bem nao tenho muito para poder ajudar em questoes materiais, mas se precisar de alguma ajuda em outras questoes para o que seja nao exite em me chamar.

Fel disse...

Boa Cadu,

Tamo junto \o