segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Calabouço Derretido - Joga do Zumbi Escaldante

Rio 40º, a sombra, e dia de Calabouço das Peças! Pensei com meus poucos neurônios que restaram para assuntos menos importantes, já que o restante está reservado para pensar só em boardgames, que haveria poucos jogadores devido ao calor escaldante que faz em nossa cidade. Tudo bem que no dia seguinte era feriado, mas estava quente demais, de tal maneira que dava para pegar uma praia às 22:00h tranqüilo. Porém me enganei, já que o Calabouço "bombou" de gente e confesso que nunca vi o local tão cheio (nota do Cacá: tinham mais de 45 pessoas). Não tinha lugar para jogar, daí o Arthur teve que liberar sua câmara secreta (hum, nossa!!!), que é uma sala separada no Calabouço, para que a galera pudesse jogar.

Para esquentar as turbinas o Fel e o Arthur começaram uma verdadeira "pelada" de futebol de botão. Teve goleiro caído no campo sem atendimento médico e várias bolas da trave, mas gol mesmo que é bom... nada. Até que chegou o Cacá com o seu time de futebol afegão para desafiar o Fel e seus comandados. Depois de várias ameaças terroristas, Cacássone teve que engolir a derrota para o representantes do ocidente pelo placar de 3 a 1.


Partidinha de botão que tem virado mania no Calabouço.

Rodrigo 50% Ramos chegou, e entre uma cerveja e outra mandou bala no Abalone contra o Carlão Merino, o vândalo do portão, lenda no jogo e instrutor internacional.

Franklin e Filipe começaram uma partida de Scepter of Zavandor com mais dois jogadores, logo após o anúncio de que o Victor não compareceria ao Calabouço por causa do calor infernal.

Arthur vendia picolé e salgadinhos, enquanto Cacá liberava as formigas das empadas com agrotóxico iraquiano. Fel vendia uma pilha de jogos novos, anunciando promoções, parcelamentos e parceira com a Visa e o Mastercard.

Deputado Camilo Sujeira chegou um pouco mais tarde, mas entrou na onda comercial
e anunciou seu mais novo livro: "Pessoas inteligentes jogam tabuleiro mesmo em
véspera de feriadão".

Bouzada estava em Curitiba, tentando convencer o atendente do hotel que Twilight Imperium 3rd é a melhor coisa que existe no mundo.


Outro grande abstrato, o Abalone.

Não querendo ficar de fora da festa, aceitei o convite do Cacássone e do nosso místico amigo Mayapur para uma partida de Endeavor. Este é um jogo que ainda não vi quem não goste. Jogo bonito, gostoso de jogar e razoavelmente rápido. Nele os jogadores representam nações européias colonizadoras quem tem o objetivo de descobrir novas terras e adquirir tecnologia, cultura etc. Nossa partida foi marcada pelo tremendo esforço do Cacá em manter o Zé Colméia na mesa. Por duas ou três vezes presenciamos a cena do Cacá entrando com o Zé na sala puxando-o pela orelha. Para completar o quinteto tínhamos o Mário como um dos aspirantes
a colonizadores, visto que a maiora só tinha jogado uma ou duas vezes o jogo.

Durante a partida o Mayapur tentou intimidar o Cacá e fez um ataque surpresa a uma de suas bases secretas para treinamento de homens-bomba. Cacá, que só não é mais vingativo que o Deputado Camilo Sujeira, jurou derramar sangue no Ocidente. E não deu outra, toma pancada no Mayapur. Cadu foi se expandindo sem ser muito incomodado e conseguiu dois governadores de terras recém-descobertas. O problema de ter dois governadores era a questão política envolvida... o pessoal tava brigando por verbas maiores e merenda das crianças... etc. Mário também expandia sem ser muito incomodado, com seu jeito mineiro de ser, quietinho no
seu canto. Zé Colméia, assessorado pela namorada, estava chamando a atenção pela seqüência de shippings duplos seguidos. No final, após alguns ataques ao Mário, Cadu conseguiu uma vitória apertada com 58 pontos, seguido de perto do Mário com 56 e com os outros jogadores com pontuação entre os 50 e 54 pontos.


Ninguém resiste ao bacana Endeavor.

Depois do Endeavor juntou-se a nós o Leandro, no lugar do islâmico Cacássone, para uma partida de Snow Tails, que na tradução tosca do Victor é algo como: "Caudas da Neve", hummm!? O Mário tratou de explicar o jogo, que nada mais é que uma corrida de trenós puxada por cães, com um sistema de "drifting" genial e muitíssimo divertido. Depois de posicionar os trenós na linha de largada os jogadores começam a dar velocidade a cachorrada para alcançar as melhores posições. Mayapur, nosso amigo místico do Tibet, pediu um momento para realizar uma oração e queimar incenso, pois em sua religião os cachorros são bichos sagrados e tem que ser protegidos... hummm?! Zé Colméia, que já fez curso de sobrevivência no Everest, tomou a dianteira da corrida junto com o Mário (aquele mesmo que te trancou no... deixa pra lá), enquanto Leandro, Cadu e Mayapur ficaram um pouco para trás. Logo antes da primeira curva tinha uma radar eletrônico da CET RIO, que o Zé Colméia devidamente batizou de "Pardal das Neves", para multar trenós acima do limite de velocidade. Como eu e o Leandro esquecemos desta regra tivemos que frear os trenós e passar bem devagar enquanto o Mayapur se juntava ao grupo de elite que estava dominando a corrida. Duas curvas a frente vem o primeiro "Bosque Encantado" onde a princesa Léia Rossi gosta de passar as tardes jogando tudo que tem a marca "Estrela" na caixa.


Não pode faltar no Calabouço uma mesinha de Can't Stop.

Para desviar das árvores do bosque sem danificar o trenó o Mayapur estava fazendo uma conta complicadíssima, invocando monges ancestrais na tentativa de obter alguma ajuda. Zé Colméia chutou o balde e deu trabalho pro GreenPeace depois de derrubar um pinheiro raríssimo para alcançar uma melhor posição. Mário conseguiu manobrar e escapar da primeira sequóia, mas não teve como desviar da segunda e deu de cara com um guarda florestal. Mayapur, que a essa altura já tinha terminado de fazer as contas, entendeu que o melhor naquele momento era
ficar... parado.... isso mesmo... parado. Ficou parado ali, por umas duas rodadas, até conseguir desviar de cada arvore pelo caminho. Com isso o Cadu (diga-se EU), que vinha atrás não teve como desviar e tome pancada na árvore. Leandro, que estava dividindo a lanterna com o Cadu, se aproveitou da situação, e com manobras espetaculares conseguiu assumir a liderança provisória da corrida. Mais a frente outro bosque para atrapalhar os competidores, e era um
tal de cachorro dar de cara na árvore... afinal errar é canino!!! Os resultados foram surpreendentes. Mayapur chegou em último depois de muita meditação diante do bosque sagrado. Só conseguiu chegar depois que uma equipe de resgate foi destacada para encontrá-lo. Mário, que jura que foi atrapalhado pelo Abominável Homem das Neves, chegou em quarto lugar. Em terceiro ficou o Leandro, com sua corrida de recuperação, apesar de ter se confundido e embaralhado a sua carta número cinco com o monte de compras, o que o fez perder a segunda posição para o Cadu que chegou com seu trenó em frangalhos... ou melhor... o trenó do Tio
Rufus... não sei como vou explicar isso para ele!!! O grande campeão foi o Zé Colméia que fez muito bem a última curva e mandou bala na reta final para receber o troféu... um pacotão de Papita Champion que foi o patrocinador do evento!


C&C: Ancients estreando nas jogas do Calabouço.

Um lance legal do Snow Tails é a peça "Pata de Cachorro" que é uma espécie de cartão vermelho para quem fica demorando muito a jogar. Muita gente deu "patada" no outro para que o jogo fluísse. Em homenagem ao nosso amigo e pensador eterno Bouzada, guardamos uma pata de cachorro honorária para ele...

Duas horas da manhã, hora de ir embora, mas a casa continuou cheia... Enquanto isso o Shamou, que estava vindo para o evento eram 19:00h, sob os efeitos de Tequila estragada se perdeu e foi parar num local reservado para canteiro de obras das Olimpíadas de 2016. Para não perder viagem ele se juntou aos peões numa animada partida de sueca. Ele até arriscou explicar para os novos amigos o que é uma Math Trade... mas aí já é uma outra e longa história que nem a
filosofia irônica do Carlos Salles consegue explicar.

2 comentários:

arthur daniel disse...

Ps total de jogadores 56

Cacá disse...

Vai ter que comprar mais mesas pra dar vasão a esse povo todos nas férias de final de ano... =)

Abraços Arthur...